Eventos Não Usar

Alimentação Vegana: Tudo o Que Você Precisa Saber!

Woman with green vegetables at the kitchen

O veganismo é filosofia de vida: entenda seu impacto na alimentação

A alimentação vegana ganha novos adeptos a cada dia, isso porque o conhecimento sobre seus benefícios está sendo difundido por todos os que a praticam, por um motivo simples: o bem-estar que a rotina proporciona! Em torno de todos os ideais, inspirações e compartilhamentos há muitos mitos sobre o veganismo que se misturam com os verdadeiros conceitos, sendo assim, hoje nós vamos esclarecer tudo para você. Acompanhe a leitura e confira tudo o que você precisa saber sobre a alimentação vegana.

O veganismo preza pela valorização de todas as formas de vida, tanto que não apoiamos nenhuma forma de exploração animal, seja ela em testes para desenvolvimento de novos produtos, em circos e zoológicos para entretenimento, na moda e vestuário para símbolos de glamour e, por fim, para alimentação do dia a dia.

Como não compactuamos dessas atitudes, não usufruímos de nenhum item que em seu processo produtivo tenha causado danos aos animais, afinal, com o conhecimento humano e a tecnologia que temos atualmente é possível desenvolver produtos sem causar prejuízos a ninguém.

Sem modéstia, o veganismo é o caminho para o mundo melhor, pelo fato de ser harmônico com a natureza! Acompanhe a leitura e entenda o impacto das pequenas atitudes na alimentação do dia a dia.

4 Mitos e verdades sobre a alimentação vegana

Com a expansão dos conceitos é normal que os mitos se infiltrem no meio dos ideais para que tirem a força do movimento. Então, não deixaremos que você sofra as consequências de uma informação falsa. Fizemos um compilado de verdades e mentiras que vale a pena você conferir. Acompanhe a leitura e confira todos eles:

1. Dieta vegana é cara

Falso! Esse é um dos mitos mais difundidos entre os não-adeptos, porém, se colocarmos na ponta do lápis todos os custos para comprar carnes, seja ela bovina, suína, ovina ou pescado, com certeza o valor é superior. Além disso, a variedade de produtos veganos naturais e industrializados é imensa, tanto que as receitas são deliciosas e feitas com produtos de preços acessíveis.

2. Sem carne, sem proteína

Este é mais um dos mitos que permeiam o veganismo. Pois saiba que as proteínas são encontradas muito além das carnes! Para facilitar a sua escolha, ao longo deste posto criamos uma lista com alimentos veganos e sua quantidade de proteína, então, continue a leitura que logo você descobrirá quais são.

3. A alimentação é benéfica

E muito! Afinal é uma rotina de alimentação rica em minerais, proteínas, antioxidantes e muitos outros nutrientes benéficos para o corpo. Sua eficácia também se expande para o controle da diabetes, por exmeplo, isso porque auxilia na regulação dos níveis de açúcar e colesterol.

Além disso, há estudos que comprovam a eficácia da dieta vegana no combate de doenças crônicas e câncer. Por isso, a afirmação que a alimentação tem benefícios é verdade em sua totalidade e , melhor ainda, não há restrições de idade para seu consumo, então desde as crianças até os idosos podem usufruir dos benefícios da alimentação vegana.

4. Vegano e vegetariano são a mesma coisa

Muitas pessoas confundem as duas terminologias, mas vamos esclarecer para você neste momento. O indivíduo que se alimenta de uma dieta vegetariana retira da sua rotina o consumo de peixes, carnes e aves. Contudo, algumas pessoas também optam por não consumir laticínios e ovos. Então, para não ficar confuso, vamos listar abaixo os nomes certinhos das dietas e suas variações:

Ovolactovegetariana: optam por não comer carne animal, porém consomem ovos e laticínios;

Lactovegetariana: não consomem carnes nem ovos, mas mantém o leite e seus derivados na alimentação;

Ovo vegetariana: não alimentam-se de carnes, assim como todo vegetariano, porém mantém o ovo na dieta;

Flexitariana: é a dieta que flexibiliza o consumo, ou seja, para pessoas que estão em transição alimentar, assim reduzem o consumo da carne animal até excluir totalmente das refeições;

Piscitariana: dieta vegetariana, mas as pessoas que a praticam continuam a comer peixes e frutos do mar;

Vegetariana estrita: dieta apenas com alimentos de origem vegetal;

Vegetariana Crudívora: dieta com alimentos de origem vegetal, mas sem cocção, apenas crus;

Vegetariana Frugívora: é a alimentação baseada em frutas e frutos;

Vegana: nenhum consumo de alimentos provindos dos animais, nem seus derivados como leite e mel, assim como os vegetarianos estritos. E também não consomem nenhum produto que em seu processo de fabricação explorou ou usou animais, como: cosméticos e roupas que fazem testes químicos nos animais.

10 Alimentos ricos em proteína para veganos

As proteínas estão presentes em muitos alimentos além das carnes e, para facilitar sua escolha, fizemos um compilados com grãos, sementes e muito mais para você experimentar. Em cada um que elencamos a quantidade de proteína presente está especificada. Olha só:

Valores de referência das carnes:

Proteínas em 100g de carne bovina: 26g;

Proteínas em 100g de carne ovina: 25g;

Proteínas em 100g de carne suína: 27g;

Proteínas em 100g de carne pescado: 26g;

As referências são uma média entre os diversos cortes de carne, por isso, podem variar em até 4g para mais ou menos.

1. Chia

Além de ser versátil e deliciosa em diversas receitas, apresenta fibras que melhoram a saúde intestinal, auxilia na diminuição do peso como também ajuda na redução de doenças cardiovasculares. Consequentemente, regula o colesterol e fortalece a estrutura óssea, ou seja é uma das melhores sementes para incluir em seu dia a dia.

Proteínas em 100g de chia: 17g.

2. Quinoa

A quinoa é um dos grãos com maior índice de proteínas, sendo consumido em sopas, molhos, saladas, pães e sucos. Como benefícios para o corpo, contribui no aprimoramento da imunidade e do funcionamento do intestino, além de fortalecer os músculos.

Proteínas em 100g de quinoa: 21g.

3. Edamame

Este grão é muito consumido em países asiáticos em saladas, purês, pokes, além de fornecer uma mistura de sabor incrível com wasabi. Os efeitos benéficos no corpo são vistos com a amenização dos sintomas da menopausa, o fortalecimento da saúde dos olhos com a vitamina A e , em especial, auxilia no combate da depressão com seus altos índices de ácido fólico , afinal, ele impede a formação da homocisteína.

Proteínas em 100g de edamame: 11g.

4. Cacau em pó

O cacau é o maior aliado na produção de vitaminas, bolos, panquecas e receitas com frutas e cremes de avelã, pois ele tem o sabor explosivo do chocolate de forma equilibrada e sem gorduras. Sendo assim, é um ótima opção para produzir serotonina e combater o envelhecimento com suas propriedades antioxidantes.

Proteínas em 100g de cacau em pó: 20g.

5. Tofu

Este queijo é produzido com a fervura do leite de soja, sendo assim, é nutritivo e o melhor queijo para os intolerantes à lactose e veganos. Além disso, possui isoflavonoides que auxiliam na prevenção do câncer de próstata, de colo de útero e de mama.

Proteínas em 100g de tofu cru: 8g.

6. Grão-de-bico

O segredo do grão-de-bico ser tão saboroso é sua abundância em triptofano, responsável por ativar a produção de serotonina e transmitir o bem-estar ao corpo. Outro fator para inclui-lo em seu cardápio é sua capacidade antioxidante de neutralizar as ações dos radicais livres.

Proteínas em 100g de grão-de-bico: 19g.

8. Gergelim

O gergelim é o grão com múltiplos benefícios em uma só semente já que em sua composição estão presentes abundantes quantidades de fibras, triptofano, tiamina como também os minerais zinco, magnésio, cálcio e ferro. Os principais benefícios encontram-se no cabelo e na pele, já que os altos índices de zinco promovem a formação de colágeno, sendo assim, previne os sinais de envelhecimento.

Proteínas em 100g de gergelim: 18g.

9. Seitan

O Seitan é uma carne produzida a partir do glúten da farinha de trigo. Pode ser feita de forma caseira ou industrializada. É uma deliciosa opção rica em minerais, fibras e com baixos índices de gordura que é feita a partir do cozimento em vapor, fervura ou ate mesmo assada.

Proteínas em 100g de seitan: 75g

10. Pistache

O pistache é um dos alimentos mais apreciados pelo seu sabor incrível e sua versatilidade nas receitas, sendo um ótimo investimento para os pré-diabéticos, já que seus nutrientes auxiliam a regulação dos colesteróis, além disso é rico em antioxidantes e é probiótico.

Proteínas em 100g de pistache: 20g.

Agora que você já conhece os melhores alimentos para incluir em sua alimentação, o que acha de informar-se sobre algumas dicas para alinhar sua dieta vegana? Continue acompanhando as postagens da HMS Natural e fique sempre atento a todas as dicas do universo vegano.

Até o próximo post!

Carina Molon Zampini CRF 44170

Farmacêutica (CRF 44170), responsável pela HMS Natural, mãe da Isabely de 3 anos e da Amanda de 6 anos. Desenvolveu a linha vegana e livre de alergênicos com a intenção de ajudar ao próximo, os animais e o meio ambiente.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Anúncio

Carina Molon Zampini

Farmacêutica, responsável pela HMS Natural, mãe da Isabely de 3 anos e da Amanda de 6 anos. Desenvolveu a linha vegana e livre de alergênicos com a intenção de ajudar ao próximo, os animais e o meio ambiente.

Anúncio

Vídeo

WhatsApp icone